Caju tem abertura emocionante com Awê Pataxó e Roda de Conversa sobre saberes ancestrais

Por Redação Oxarope
04/09/2023

Publicado em -

oxarope02noticia-17

O Awê Pataxó foi um dos momentos mais emocionantes e aguardados da segunda edição do Caju de Leitores (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Nesta segunda-feira, dia 4, aconteceu a abertura do 2º Festival Caju de Leitores, na Oca Tururim, localizada na Aldeia Xandó, Terra Indígena da Barra Velha, vizinha de Caraíva, distrito de Porto Seguro (BA).

Para iniciar o evento, foi realizada a oração indígena e o Awê Pataxó – rituais de canto e dança utilizados como instrumento de comunhão com a natureza e os encantados ancestrais. O rito se iniciou com a queima da Almesca, também conhecida como Breu Branco.

“Com cânticos que contam a história do povo Pataxó, o Awê é um ritual de interação e harmonia inclusivo a toda a comunidade”, segundo Tucumã Pataxó, também conhecido com o Pajé Ouriço.

Roda de Conversa

Após o momento do Awê, a curadora Trudruá Dorrico e o anfitrião Sairi Pataxó fizeram os agradecimentos à diretora da Escola Indígena, Nargela Carvalho; aos professores das unidades escolares da região; além da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Prefeitura de Porto Seguro, ao Projeto Lixo é Luxo, à Reserva Porto do Boi e aos convidados.  Na ocasião, ainda a autora e cordelista Auritha Tabajara e o anfitrião Sairi Pataxó recitaram um cordel em homenagem à idealizadora do Caju Leitores, Joanna Savaglia.

Em seguida, foi a vez de Raoni Pataxó; Tapy Pataxó e Daniel Munduruku realizarem uma roda de conversa sobre a oralidade indígena e o futuro, finalizando com um espaço para sabatina, onde os presentes debateram assuntos como missões religiosas dentro de comunidades indígenas; a desconexão cultural no processo educacional; como não deixar a infância (em todos) morrer?; ente outros.

Importância

Raoni Pataxó revelou a importância do Festival como espaço de pertencimento da Literatura Indígena. “Hoje vivemos um tempo que a nossa literatura, está sendo escrita e registrada pelo nosso próprio povo, diferente de antigamente que o conhecimento era transmitido de forma oral, pelos nossos literários anciãos, ao redor de uma fogueira. O Festival Caju vem como um espaço para mostrar a tradição e obra indígena para toda a sociedade brasileira”, ressalta a liderança indigena da Aldeia-mãe Barra Velha.

A liderança indígena de Porto do Boi, Tapy Pataxó trouxe para a discussão outros aspectos culturais: as plantas, a medicina curativa e a espiritualidade. “O evento foi de grande importância, já que fortalece nossas raízes e enaltece nosso povo que é de resistência. Fiquei muito honrada de participar desse primeiro encontro com dois grandes mestres Raoni e Munduruku. Me senti hoje uma guerreira empoderada e fortalecendo o movimento cada dia mais”, comentou.

O ativista e autor literário Daniel Munduruku se emocionou com a abertura do evento, o Awê e a demonstração de compromisso da comunidade e dos visitantes com o evento. “A roda de conversa refletiu vários assuntos ligados à temática indígena e uma interação com o público – respeitoso, participativo e interativo, que permitiu com que desenvolvêssemos ainda mais algumas ideias. A organização está de parabéns pelo evento que, com certeza será de muito sucesso”, finalizou.

Presença

A abertura do Caju de Leitores com também com a presença de lideranças da Aldeia Xandó, como o Cacique Marrudo, Pajé Ouriço, anciãos indígenas, professores, moradores da região e visitantes.

Raoni Pataxó, Tapy Pataxo e Daniel Muduruku foram os convidados da Roda de Conversa do primeiro dia do Festival (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Hoje, dia 5, as atividades iniciam às 9h; contação de histórias com a cordelista indígena Auritha (9h15); roda de conversa com Marcia Kambeba e Janaron Pataxó (10h) e oficina de grafismo (11h). Na parte da tarde, a partir das 15h, autógrafos, fotos e entrevistas tem seu espaço na atividade livre; às 16h, a conversa tem a presença de Daniel Munduruku e Arissana Pataxó, seguido de Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó (17h) e às 18h, apresentação musical dos Marujos Pataxó – Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha. (Confira a programação completa abaixo).

O 2º Festival Caju de Leitores acontece até dia 7 de setembro e receberá, ao todo, cerca de 10 autores indígenas, entre outros convidados, que contam suas vivências e compartilham conhecimento.

Gratuito, o evento tem patrocínio do Instituto Cultural Vale e da MMB Metals com incentivo da Lei Rouanet e Ministério da Cultura.  Mais informações sobre o evento pelo site www.cajuleitores.com.br e pelo Instagram @cajuleitores.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL CAJU DE LEITORES

Dia 5 – terça-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Auritha Tabajara conta Histórias

10h – Marcia Kambeba e Janaron Pataxó

11h –  Grafismo com Janaron Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Daniel Munduruku e Arissana Pataxó

17h – Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó

18h – Apresentação Musical – Marujos Pataxó Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha

Dia 6 – quarta-feira – Oca Tururim

Das 8h  às 11h – Desfile Cívico

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Homenagem ao Valdemy Sisnande – Roda de Conversa com Edite, Edilza, Edinho, Lomanto e Biriba

17h – Lute como a Língua Patxohã, com Awoy Pataxó, Raoni Pataxó e Arissana Pataxó

18h – Contação de Histórias com Japira Pataxó, Maria Coruja e Dona Joana (em torno da fogueira)

Dia 7 – quinta-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Japira Pataxó e Auritha Tabajara

10h – Contação de Histórias com Adriana Pesca e Sairi Pataxó

11h – Ilustração com Arissana Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Letramento indígena em Bibliotecas Comunitárias – Roda de Conversa com Rede Oxe de Bibliotecas Comunitárias do Estado da Bahia

17h – A oralidade e a escrita para o protagonismo jovem em ações socioambientais – Roda de Conversa com Coletivo Jovem Muká Mukaú e Coletivo Caraíva Sem Assédio

18h – Encerramento com Roda de Leitura (trechos de livros)

Assessoria de Imprensa Festival Caju de Leitores:  Débora do Carmo

1678540344banner-970x90-bello.png

Mais recentes

Empresária Bel Checon é anunciada como vice na chapa do partido NOVO em Eunápolis

O partido NOVO anunciou na tarde desta quinta-feira (23) que a empresária Bel Checon será a vice…

Deputada estadual Cláudia Oliveira indica a construção de nova Rodoviária em Porto Seguro

O município de Porto Seguro pode ganhar uma nova rodoviária caso a indicação da deputada Cláudia Oliveira…

Centro comercial de Eunápolis poderá não ter decoração junina este ano

O tradicional cenário colorido das ruas do centro de Eunápolis durante as festividades juninas pode não se…

MODERNIZAÇÃO: Baianão recebe UPA24h completamente reformada e ampliada

Nesta quarta-feira, 22 de maio, a Prefeitura de Porto Seguro celebrou a entrega da Unidade de Pronto…

Divulgada nova data do Concurso Nacional Unificado: 18 de agosto

O Concurso Público Nacional Unificado (CNPU) já conta com nova data: 18 de agosto. Em breve o…

Caju tem abertura emocionante com Awê Pataxó e Roda de Conversa sobre saberes ancestrais

Por Redação Oxarope
04/09/2023 - 19h19 - Atualizado 8 de setembro de 2023

Publicado em -

oxarope02noticia-17
O Awê Pataxó foi um dos momentos mais emocionantes e aguardados da segunda edição do Caju de Leitores (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Nesta segunda-feira, dia 4, aconteceu a abertura do 2º Festival Caju de Leitores, na Oca Tururim, localizada na Aldeia Xandó, Terra Indígena da Barra Velha, vizinha de Caraíva, distrito de Porto Seguro (BA).

Para iniciar o evento, foi realizada a oração indígena e o Awê Pataxó – rituais de canto e dança utilizados como instrumento de comunhão com a natureza e os encantados ancestrais. O rito se iniciou com a queima da Almesca, também conhecida como Breu Branco.

“Com cânticos que contam a história do povo Pataxó, o Awê é um ritual de interação e harmonia inclusivo a toda a comunidade”, segundo Tucumã Pataxó, também conhecido com o Pajé Ouriço.

Roda de Conversa

Após o momento do Awê, a curadora Trudruá Dorrico e o anfitrião Sairi Pataxó fizeram os agradecimentos à diretora da Escola Indígena, Nargela Carvalho; aos professores das unidades escolares da região; além da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Prefeitura de Porto Seguro, ao Projeto Lixo é Luxo, à Reserva Porto do Boi e aos convidados.  Na ocasião, ainda a autora e cordelista Auritha Tabajara e o anfitrião Sairi Pataxó recitaram um cordel em homenagem à idealizadora do Caju Leitores, Joanna Savaglia.

Em seguida, foi a vez de Raoni Pataxó; Tapy Pataxó e Daniel Munduruku realizarem uma roda de conversa sobre a oralidade indígena e o futuro, finalizando com um espaço para sabatina, onde os presentes debateram assuntos como missões religiosas dentro de comunidades indígenas; a desconexão cultural no processo educacional; como não deixar a infância (em todos) morrer?; ente outros.

Importância

Raoni Pataxó revelou a importância do Festival como espaço de pertencimento da Literatura Indígena. “Hoje vivemos um tempo que a nossa literatura, está sendo escrita e registrada pelo nosso próprio povo, diferente de antigamente que o conhecimento era transmitido de forma oral, pelos nossos literários anciãos, ao redor de uma fogueira. O Festival Caju vem como um espaço para mostrar a tradição e obra indígena para toda a sociedade brasileira”, ressalta a liderança indigena da Aldeia-mãe Barra Velha.

A liderança indígena de Porto do Boi, Tapy Pataxó trouxe para a discussão outros aspectos culturais: as plantas, a medicina curativa e a espiritualidade. “O evento foi de grande importância, já que fortalece nossas raízes e enaltece nosso povo que é de resistência. Fiquei muito honrada de participar desse primeiro encontro com dois grandes mestres Raoni e Munduruku. Me senti hoje uma guerreira empoderada e fortalecendo o movimento cada dia mais”, comentou.

O ativista e autor literário Daniel Munduruku se emocionou com a abertura do evento, o Awê e a demonstração de compromisso da comunidade e dos visitantes com o evento. “A roda de conversa refletiu vários assuntos ligados à temática indígena e uma interação com o público – respeitoso, participativo e interativo, que permitiu com que desenvolvêssemos ainda mais algumas ideias. A organização está de parabéns pelo evento que, com certeza será de muito sucesso”, finalizou.

Presença

A abertura do Caju de Leitores com também com a presença de lideranças da Aldeia Xandó, como o Cacique Marrudo, Pajé Ouriço, anciãos indígenas, professores, moradores da região e visitantes.

Raoni Pataxó, Tapy Pataxo e Daniel Muduruku foram os convidados da Roda de Conversa do primeiro dia do Festival (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Hoje, dia 5, as atividades iniciam às 9h; contação de histórias com a cordelista indígena Auritha (9h15); roda de conversa com Marcia Kambeba e Janaron Pataxó (10h) e oficina de grafismo (11h). Na parte da tarde, a partir das 15h, autógrafos, fotos e entrevistas tem seu espaço na atividade livre; às 16h, a conversa tem a presença de Daniel Munduruku e Arissana Pataxó, seguido de Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó (17h) e às 18h, apresentação musical dos Marujos Pataxó – Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha. (Confira a programação completa abaixo).

O 2º Festival Caju de Leitores acontece até dia 7 de setembro e receberá, ao todo, cerca de 10 autores indígenas, entre outros convidados, que contam suas vivências e compartilham conhecimento.

Gratuito, o evento tem patrocínio do Instituto Cultural Vale e da MMB Metals com incentivo da Lei Rouanet e Ministério da Cultura.  Mais informações sobre o evento pelo site www.cajuleitores.com.br e pelo Instagram @cajuleitores.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL CAJU DE LEITORES

Dia 5 – terça-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Auritha Tabajara conta Histórias

10h – Marcia Kambeba e Janaron Pataxó

11h –  Grafismo com Janaron Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Daniel Munduruku e Arissana Pataxó

17h – Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó

18h – Apresentação Musical – Marujos Pataxó Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha

Dia 6 – quarta-feira – Oca Tururim

Das 8h  às 11h – Desfile Cívico

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Homenagem ao Valdemy Sisnande – Roda de Conversa com Edite, Edilza, Edinho, Lomanto e Biriba

17h – Lute como a Língua Patxohã, com Awoy Pataxó, Raoni Pataxó e Arissana Pataxó

18h – Contação de Histórias com Japira Pataxó, Maria Coruja e Dona Joana (em torno da fogueira)

Dia 7 – quinta-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Japira Pataxó e Auritha Tabajara

10h – Contação de Histórias com Adriana Pesca e Sairi Pataxó

11h – Ilustração com Arissana Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Letramento indígena em Bibliotecas Comunitárias – Roda de Conversa com Rede Oxe de Bibliotecas Comunitárias do Estado da Bahia

17h – A oralidade e a escrita para o protagonismo jovem em ações socioambientais – Roda de Conversa com Coletivo Jovem Muká Mukaú e Coletivo Caraíva Sem Assédio

18h – Encerramento com Roda de Leitura (trechos de livros)

Assessoria de Imprensa Festival Caju de Leitores:  Débora do Carmo

1

Mais recentes

Empresária Bel Checon é anunciada como vice na chapa do partido NOVO em Eunápolis

O partido NOVO anunciou na tarde desta quinta-feira (23) que a empresária Bel Checon será a vice na chapa para as próximas eleições. Com a…

Deputada estadual Cláudia Oliveira indica a construção de nova Rodoviária em Porto Seguro

O município de Porto Seguro pode ganhar uma nova rodoviária caso a indicação da deputada Cláudia Oliveira (PSD) seja aprovada. A parlamentar encaminhou o pedido…

Centro comercial de Eunápolis poderá não ter decoração junina este ano

O tradicional cenário colorido das ruas do centro de Eunápolis durante as festividades juninas pode não se repetir este ano. Com o cancelamento do Pedrão…

MODERNIZAÇÃO: Baianão recebe UPA24h completamente reformada e ampliada

Nesta quarta-feira, 22 de maio, a Prefeitura de Porto Seguro celebrou a entrega da Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA) Frei Calixto, no Mercado do…

Divulgada nova data do Concurso Nacional Unificado: 18 de agosto

O Concurso Público Nacional Unificado (CNPU) já conta com nova data: 18 de agosto. Em breve o cronograma completo será divulgado.  Após o adiamento causado…

IRPF 2024: Aberta consulta ao maior lote de restituição

A partir desta quinta-feira (23), estará disponível para consulta o maior lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2024. Ao todo,…

Grupo Brasileiro lança nova frota de ônibus em Vitória da Conquista, nesta sexta-feira

O Grupo Brasileiro vai apresentar, nesta sexta-feira, 24 de maio, em Vitória da Conquista, uma nova frota de 52 ônibus das empresas Rota Transportes e…

Silvio Costa Filho: teremos 134 voos semanais no Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (27)

Ministro de Portos e Aeroportos abordou, no programa desta quarta, 22 de maio, a situação no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, e a operação…

Plataforma digital da Setur-BA oferece cursos gratuitos para qualificar serviços turísticos

A capacitação e a qualificação de gestores públicos, empreendedores e profissionais do trade turístico, visando oferecer serviços de excelência, é uma das estratégias da Secretaria…

4º Festival regional de quadrilhas juninas de Itabela vai reunir 18 grupos de 15 cidades

O município de Itabela se prepara para um dos eventos culturais mais aguardados da região: o 4º Festival Regional de Quadrilhas Juninas. A edição deste…

Fisioterapeutas da Madre Thaís participaram do Workshop EPI-Sul Bahia 

A professora Gracielle Santos, do curso de Fisioterapia da Faculdade Madre Thaís, participou do Workshop EPI-Sul Bahia, realizado nos dias 14 e 15 de maio,…

Porto Seguro Impulsiona Turismo no Evento “Curitiba Tá On” da Azul Viagens

Porto Seguro destacou-se durante o evento “Curitiba Tá On”, organizado pela Azul Viagens, que aconteceu no dia 21 de maio, no Mist Eventos, em Curitiba….

Miris Lisboa, presidente do Mobiliza33, realiza encontro estratégico com pré-candidatos (as) a vereador (a) em Eunápolis

O presidente municipal do partido Mobiliza33, Miris Lisboa, realizou nesta terça-feira, 21, uma reunião com os(as) pré-candidatos(as) a vereador(a) para alinhamento das estratégias visando a…

Veracel abre vaga para Analista de Negócios de TI Sênior

A Veracel Celulose acaba de abrir uma oportunidade para a vaga de Analista de Negócios de TI Sênior. As inscrições ficam abertas até o dia…

Prefeitura de Itabela inicia mamografias de rastreamento em unidade móvel

A Prefeitura de Itabela, através da Secretaria de Saúde, em parceria com o Governo do Estado, anunciou o início das Mamografias de Rastreamento nesta segunda-feira…

Rolar para cima