Caju tem abertura emocionante com Awê Pataxó e Roda de Conversa sobre saberes ancestrais

Por Redação Oxarope
04/09/2023

Publicado em -

oxarope02noticia-17

O Awê Pataxó foi um dos momentos mais emocionantes e aguardados da segunda edição do Caju de Leitores (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Nesta segunda-feira, dia 4, aconteceu a abertura do 2º Festival Caju de Leitores, na Oca Tururim, localizada na Aldeia Xandó, Terra Indígena da Barra Velha, vizinha de Caraíva, distrito de Porto Seguro (BA).

Para iniciar o evento, foi realizada a oração indígena e o Awê Pataxó – rituais de canto e dança utilizados como instrumento de comunhão com a natureza e os encantados ancestrais. O rito se iniciou com a queima da Almesca, também conhecida como Breu Branco.

“Com cânticos que contam a história do povo Pataxó, o Awê é um ritual de interação e harmonia inclusivo a toda a comunidade”, segundo Tucumã Pataxó, também conhecido com o Pajé Ouriço.

Roda de Conversa

Após o momento do Awê, a curadora Trudruá Dorrico e o anfitrião Sairi Pataxó fizeram os agradecimentos à diretora da Escola Indígena, Nargela Carvalho; aos professores das unidades escolares da região; além da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Prefeitura de Porto Seguro, ao Projeto Lixo é Luxo, à Reserva Porto do Boi e aos convidados.  Na ocasião, ainda a autora e cordelista Auritha Tabajara e o anfitrião Sairi Pataxó recitaram um cordel em homenagem à idealizadora do Caju Leitores, Joanna Savaglia.

Em seguida, foi a vez de Raoni Pataxó; Tapy Pataxó e Daniel Munduruku realizarem uma roda de conversa sobre a oralidade indígena e o futuro, finalizando com um espaço para sabatina, onde os presentes debateram assuntos como missões religiosas dentro de comunidades indígenas; a desconexão cultural no processo educacional; como não deixar a infância (em todos) morrer?; ente outros.

Importância

Raoni Pataxó revelou a importância do Festival como espaço de pertencimento da Literatura Indígena. “Hoje vivemos um tempo que a nossa literatura, está sendo escrita e registrada pelo nosso próprio povo, diferente de antigamente que o conhecimento era transmitido de forma oral, pelos nossos literários anciãos, ao redor de uma fogueira. O Festival Caju vem como um espaço para mostrar a tradição e obra indígena para toda a sociedade brasileira”, ressalta a liderança indigena da Aldeia-mãe Barra Velha.

A liderança indígena de Porto do Boi, Tapy Pataxó trouxe para a discussão outros aspectos culturais: as plantas, a medicina curativa e a espiritualidade. “O evento foi de grande importância, já que fortalece nossas raízes e enaltece nosso povo que é de resistência. Fiquei muito honrada de participar desse primeiro encontro com dois grandes mestres Raoni e Munduruku. Me senti hoje uma guerreira empoderada e fortalecendo o movimento cada dia mais”, comentou.

O ativista e autor literário Daniel Munduruku se emocionou com a abertura do evento, o Awê e a demonstração de compromisso da comunidade e dos visitantes com o evento. “A roda de conversa refletiu vários assuntos ligados à temática indígena e uma interação com o público – respeitoso, participativo e interativo, que permitiu com que desenvolvêssemos ainda mais algumas ideias. A organização está de parabéns pelo evento que, com certeza será de muito sucesso”, finalizou.

Presença

A abertura do Caju de Leitores com também com a presença de lideranças da Aldeia Xandó, como o Cacique Marrudo, Pajé Ouriço, anciãos indígenas, professores, moradores da região e visitantes.

Raoni Pataxó, Tapy Pataxo e Daniel Muduruku foram os convidados da Roda de Conversa do primeiro dia do Festival (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Hoje, dia 5, as atividades iniciam às 9h; contação de histórias com a cordelista indígena Auritha (9h15); roda de conversa com Marcia Kambeba e Janaron Pataxó (10h) e oficina de grafismo (11h). Na parte da tarde, a partir das 15h, autógrafos, fotos e entrevistas tem seu espaço na atividade livre; às 16h, a conversa tem a presença de Daniel Munduruku e Arissana Pataxó, seguido de Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó (17h) e às 18h, apresentação musical dos Marujos Pataxó – Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha. (Confira a programação completa abaixo).

O 2º Festival Caju de Leitores acontece até dia 7 de setembro e receberá, ao todo, cerca de 10 autores indígenas, entre outros convidados, que contam suas vivências e compartilham conhecimento.

Gratuito, o evento tem patrocínio do Instituto Cultural Vale e da MMB Metals com incentivo da Lei Rouanet e Ministério da Cultura.  Mais informações sobre o evento pelo site www.cajuleitores.com.br e pelo Instagram @cajuleitores.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL CAJU DE LEITORES

Dia 5 – terça-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Auritha Tabajara conta Histórias

10h – Marcia Kambeba e Janaron Pataxó

11h –  Grafismo com Janaron Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Daniel Munduruku e Arissana Pataxó

17h – Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó

18h – Apresentação Musical – Marujos Pataxó Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha

Dia 6 – quarta-feira – Oca Tururim

Das 8h  às 11h – Desfile Cívico

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Homenagem ao Valdemy Sisnande – Roda de Conversa com Edite, Edilza, Edinho, Lomanto e Biriba

17h – Lute como a Língua Patxohã, com Awoy Pataxó, Raoni Pataxó e Arissana Pataxó

18h – Contação de Histórias com Japira Pataxó, Maria Coruja e Dona Joana (em torno da fogueira)

Dia 7 – quinta-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Japira Pataxó e Auritha Tabajara

10h – Contação de Histórias com Adriana Pesca e Sairi Pataxó

11h – Ilustração com Arissana Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Letramento indígena em Bibliotecas Comunitárias – Roda de Conversa com Rede Oxe de Bibliotecas Comunitárias do Estado da Bahia

17h – A oralidade e a escrita para o protagonismo jovem em ações socioambientais – Roda de Conversa com Coletivo Jovem Muká Mukaú e Coletivo Caraíva Sem Assédio

18h – Encerramento com Roda de Leitura (trechos de livros)

Assessoria de Imprensa Festival Caju de Leitores:  Débora do Carmo

1678540344banner-970x90-bello.png

Mais recentes

Partido Novo confirma Marta Santos e Bel Checon como candidatas a prefeita e vice em Eunápolis

O Partido Novo lançou oficialmente a candidatura de Marta Santos à prefeitura de Eunápolis. A convenção do…

Com novos projetos, governo baiano amplia investimentos em Educação no primeiro semestre de 2024

O primeiro semestre letivo de 2024 da rede estadual de ensino foi marcado pelo início de novos…

Eunápolis: Ciça Guerrieri visita conjunto habitacional Arnaldão e recebe calorosa recepção

A ex-secretária de assistência social de Eunápolis, Ciça Guerrieri, visitou recentemente o conjunto habitacional Arnaldão. Durante a…

Bahia Sem Fome: Cozinhas comunitárias começam entrega de refeições para população em vulnerabilidade social de 14 municípios

A rotina de preparação dos alimentos que chegarão a 20 mil baianos em situação de insegurança alimentar…

Bahia amplia efetivo de Segurança Pública com mais de 4 mil profissionais

O efetivo das forças de segurança pública da Bahia será ampliado com 4.263 profissionais. A novidade foi…

Caju tem abertura emocionante com Awê Pataxó e Roda de Conversa sobre saberes ancestrais

Por Redação Oxarope
04/09/2023 - 19h19 - Atualizado 8 de setembro de 2023

Publicado em -

oxarope02noticia-17
O Awê Pataxó foi um dos momentos mais emocionantes e aguardados da segunda edição do Caju de Leitores (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Nesta segunda-feira, dia 4, aconteceu a abertura do 2º Festival Caju de Leitores, na Oca Tururim, localizada na Aldeia Xandó, Terra Indígena da Barra Velha, vizinha de Caraíva, distrito de Porto Seguro (BA).

Para iniciar o evento, foi realizada a oração indígena e o Awê Pataxó – rituais de canto e dança utilizados como instrumento de comunhão com a natureza e os encantados ancestrais. O rito se iniciou com a queima da Almesca, também conhecida como Breu Branco.

“Com cânticos que contam a história do povo Pataxó, o Awê é um ritual de interação e harmonia inclusivo a toda a comunidade”, segundo Tucumã Pataxó, também conhecido com o Pajé Ouriço.

Roda de Conversa

Após o momento do Awê, a curadora Trudruá Dorrico e o anfitrião Sairi Pataxó fizeram os agradecimentos à diretora da Escola Indígena, Nargela Carvalho; aos professores das unidades escolares da região; além da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Prefeitura de Porto Seguro, ao Projeto Lixo é Luxo, à Reserva Porto do Boi e aos convidados.  Na ocasião, ainda a autora e cordelista Auritha Tabajara e o anfitrião Sairi Pataxó recitaram um cordel em homenagem à idealizadora do Caju Leitores, Joanna Savaglia.

Em seguida, foi a vez de Raoni Pataxó; Tapy Pataxó e Daniel Munduruku realizarem uma roda de conversa sobre a oralidade indígena e o futuro, finalizando com um espaço para sabatina, onde os presentes debateram assuntos como missões religiosas dentro de comunidades indígenas; a desconexão cultural no processo educacional; como não deixar a infância (em todos) morrer?; ente outros.

Importância

Raoni Pataxó revelou a importância do Festival como espaço de pertencimento da Literatura Indígena. “Hoje vivemos um tempo que a nossa literatura, está sendo escrita e registrada pelo nosso próprio povo, diferente de antigamente que o conhecimento era transmitido de forma oral, pelos nossos literários anciãos, ao redor de uma fogueira. O Festival Caju vem como um espaço para mostrar a tradição e obra indígena para toda a sociedade brasileira”, ressalta a liderança indigena da Aldeia-mãe Barra Velha.

A liderança indígena de Porto do Boi, Tapy Pataxó trouxe para a discussão outros aspectos culturais: as plantas, a medicina curativa e a espiritualidade. “O evento foi de grande importância, já que fortalece nossas raízes e enaltece nosso povo que é de resistência. Fiquei muito honrada de participar desse primeiro encontro com dois grandes mestres Raoni e Munduruku. Me senti hoje uma guerreira empoderada e fortalecendo o movimento cada dia mais”, comentou.

O ativista e autor literário Daniel Munduruku se emocionou com a abertura do evento, o Awê e a demonstração de compromisso da comunidade e dos visitantes com o evento. “A roda de conversa refletiu vários assuntos ligados à temática indígena e uma interação com o público – respeitoso, participativo e interativo, que permitiu com que desenvolvêssemos ainda mais algumas ideias. A organização está de parabéns pelo evento que, com certeza será de muito sucesso”, finalizou.

Presença

A abertura do Caju de Leitores com também com a presença de lideranças da Aldeia Xandó, como o Cacique Marrudo, Pajé Ouriço, anciãos indígenas, professores, moradores da região e visitantes.

Raoni Pataxó, Tapy Pataxo e Daniel Muduruku foram os convidados da Roda de Conversa do primeiro dia do Festival (Crédito: Leo Barreto/ Festival Caju de Leitores) – Foto: – Foto: Caju

Hoje, dia 5, as atividades iniciam às 9h; contação de histórias com a cordelista indígena Auritha (9h15); roda de conversa com Marcia Kambeba e Janaron Pataxó (10h) e oficina de grafismo (11h). Na parte da tarde, a partir das 15h, autógrafos, fotos e entrevistas tem seu espaço na atividade livre; às 16h, a conversa tem a presença de Daniel Munduruku e Arissana Pataxó, seguido de Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó (17h) e às 18h, apresentação musical dos Marujos Pataxó – Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha. (Confira a programação completa abaixo).

O 2º Festival Caju de Leitores acontece até dia 7 de setembro e receberá, ao todo, cerca de 10 autores indígenas, entre outros convidados, que contam suas vivências e compartilham conhecimento.

Gratuito, o evento tem patrocínio do Instituto Cultural Vale e da MMB Metals com incentivo da Lei Rouanet e Ministério da Cultura.  Mais informações sobre o evento pelo site www.cajuleitores.com.br e pelo Instagram @cajuleitores.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL CAJU DE LEITORES

Dia 5 – terça-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Auritha Tabajara conta Histórias

10h – Marcia Kambeba e Janaron Pataxó

11h –  Grafismo com Janaron Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Daniel Munduruku e Arissana Pataxó

17h – Trudruá Dorrico e Janaron Pataxó

18h – Apresentação Musical – Marujos Pataxó Sambadores e Sambadeiras da Aldeia Barra Velha

Dia 6 – quarta-feira – Oca Tururim

Das 8h  às 11h – Desfile Cívico

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Homenagem ao Valdemy Sisnande – Roda de Conversa com Edite, Edilza, Edinho, Lomanto e Biriba

17h – Lute como a Língua Patxohã, com Awoy Pataxó, Raoni Pataxó e Arissana Pataxó

18h – Contação de Histórias com Japira Pataxó, Maria Coruja e Dona Joana (em torno da fogueira)

Dia 7 – quinta-feira – Oca Tururim

9h – Abertura

9h15 – Japira Pataxó e Auritha Tabajara

10h – Contação de Histórias com Adriana Pesca e Sairi Pataxó

11h – Ilustração com Arissana Pataxó

Das 12h às 14h – Intervalo

15h – Atividade Livre: autógrafos, fotos e entrevistas

16h – Letramento indígena em Bibliotecas Comunitárias – Roda de Conversa com Rede Oxe de Bibliotecas Comunitárias do Estado da Bahia

17h – A oralidade e a escrita para o protagonismo jovem em ações socioambientais – Roda de Conversa com Coletivo Jovem Muká Mukaú e Coletivo Caraíva Sem Assédio

18h – Encerramento com Roda de Leitura (trechos de livros)

Assessoria de Imprensa Festival Caju de Leitores:  Débora do Carmo

1

Mais recentes

Partido Novo confirma Marta Santos e Bel Checon como candidatas a prefeita e vice em Eunápolis

O Partido Novo lançou oficialmente a candidatura de Marta Santos à prefeitura de Eunápolis. A convenção do partido aconteceu na noite dessa segunda-feira (22), na…

Com novos projetos, governo baiano amplia investimentos em Educação no primeiro semestre de 2024

O primeiro semestre letivo de 2024 da rede estadual de ensino foi marcado pelo início de novos projetos em diferentes regiões da Bahia. Por meio…

Eunápolis: Ciça Guerrieri visita conjunto habitacional Arnaldão e recebe calorosa recepção

A ex-secretária de assistência social de Eunápolis, Ciça Guerrieri, visitou recentemente o conjunto habitacional Arnaldão. Durante a visita, Ciça ouviu atentamente os anseios das mulheres…

Bahia Sem Fome: Cozinhas comunitárias começam entrega de refeições para população em vulnerabilidade social de 14 municípios

A rotina de preparação dos alimentos que chegarão a 20 mil baianos em situação de insegurança alimentar tem reorganizado as cozinhas comunitárias e solidárias da…

Bahia amplia efetivo de Segurança Pública com mais de 4 mil profissionais

O efetivo das forças de segurança pública da Bahia será ampliado com 4.263 profissionais. A novidade foi anunciada pelo governador Jerônimo Rodrigues, nesta segunda-feira (22),…

Avante marca convenção para oficializar candidatura de Isan Botelho a prefeito de Itapebi

O partido Avante anunciou que realizará sua convenção partidária no dia 27 de julho para oficializar Isan Botelho como candidato a prefeito de Itapebi. Natural…

Prouni 2º semestre: Inscrições para as mais de 243 mil bolsas abrem na terça (23)

Estudantes de plantão, fiquem atentos! O Programa Universidade para Todos (Prouni) abre para inscrições a partir da próxima terça-feira (23/7), o prazo vai até 26…

Jornalistas do Brasil e do exterior têm experiência imersiva na Estrada do Chocolate

A zona turística Costa do Cacau, no sul da Bahia, foi escolhida para a press trip do Chocolat Festival, evento internacional que acontece no Centro…

Gorete Caires declara apoio à pré-candidatura de Cláudia em Porto Seguro

A missionária Gorete Caires, mãe da vereadora por Salvador Roberta Caires, reuniu cerca de 300 pessoas em sua residência, onde realizou um culto de ação…

Comunidade de Eunápolis participa ativamente das reuniões com Neto

Enquanto dois grupos políticos utilizam rádios e sites para discutir suas posições, a liderança do pré-candidato do Avante, Neto Guerrieri em Eunápolis está ganhando destaque…

Secretaria Municipal de Saúde realiza 1ª reunião ampliada em Itapebi

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Conselho Municipal de Saúde, realizou na terça-feira (16) a 1ª Reunião Ampliada com o tema: “A democracia, trabalho…

Mais de 7 mil credenciais de Passe Livre Digital são emitidas em cinco dias

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) emitiu mais de 7.800 credenciais do novo Passe Livre Digital durante a primeira semana de funcionamento. Desde a…

Cabrália comemora 191 anos com grande festa na Praça Arakakaí

Na próxima terça-feira, 23 de julho, a partir das 19h, Cabrália estará em festa para comemorar seus 191 anos. O palco principal do evento será…

RPS Contabilidade e Administração inicia comemorações de 30 anos com palestra para empreendedores

A RPS Contabilidade e Administração, empresa de Eunápolis fundada em 1994, deu início a uma série de eventos comemorativos pelos seus 30 anos de atividade….

Veracel Celulose é uma das melhores empresas para se trabalhar na Bahia

A Veracel Celulose, indústria de produção de celulose no Sul da Bahia, é uma das Melhores Empresas para Trabalhar do estado da Bahia. O ranking…

Rolar para cima