1678540344banner-970x90-bello.png

É preciso priorizar a indústria nacional como o foco do hidrogênio verde, afirma Abiquim

Por Marcelo oXarope
23/11/2023

Publicado em - -

oxarope3noticia-veracel211123-2

Segundo o presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), André Passos, além de priorizar a indústria nacional, é preciso investir em pesquisa e desenvolvimento

O uso do hidrogênio verde na indústria nacional é um dos temas a ser priorizado na destinação de recursos de pesquisa e desenvolvimento de políticas públicas. Essa é a avaliação da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). Para o do presidente-executivo da entidade, André Passos, o desenvolvimento do hidrogênio verde no Brasil deve também promover tecnologias eficientes e produtivas.

“Qualquer apoio de política pública que priorize a produção do hidrogênio para o consumo da nossa indústria, para o processo de neoindustrialização. Então, priorizar a indústria nacional como o foco de consumo de demanda do hidrogênio e priorizar também pesquisa e desenvolvimento”, destaca.

A declaração foi feita durante o seminário “A produção de Hidrogênio Sustentável no Brasil”, realizado pela Frente Parlamentar da Química (FPQ), em parceria com o Conselho Federal da Química (CFQ), nesta quarta-feira (22). Na ocasião, foram debatidas as políticas públicas sobre hidrogênio verde que visam fomentar a tecnologia do combustível, além do potencial do Brasil para a produção e estruturação da cadeia do Hidrogênio Verde.

Durante as apresentações, o coordenador-Geral de Descarbonização do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Gustavo Fontenele, ressaltou o papel do hidrogênio verde na descarbonização da matriz energética mundial, e também as oportunidades no contexto brasileiro.

“A gente precisa realmente ter uma alavanca da neoindustrialização do hidrogênio de baixo carbono, do hidrogênio sustentável para uso no nosso país, que ele também contribua para aquilo que é o papel do Brasil no mundo enquanto potência ambiental. O papel do Brasil no mundo é descarbonização. Toda a região da América Latina, mas também o mundo. Mas é fundamental pensar a sua inserção enquanto fator de competitividade, de produtividade para o nosso país também”, afirma.

Já o presidente da Associação Brasileira do Hidrogênio (ABH2), Paulo Emílio Valadão, destacou que o Brasil tem um grande potencial para a produção de hidrogênio verde.

“Brasil também tem uma oportunidade muito grande de produção de hidrogênio a partir da eletrólise da água. Tem várias fontes renováveis, principalmente a nossa matriz já é muito limpa. E isso também é uma oportunidade. Já existe uma demanda industrial, mas nós queremos ampliar a demanda industrial com hidrogênio de baixa emissão de carbono e nós queremos criar demandas energéticas. O Brasil tem um imenso potencial para produção de hidrogênio de baixa emissão de carbono e devemos aproveitá-lo”, diz.

Para o deputado federal Vitor Lippi (PSDB-SP), o Brasil tem condições de assumir uma posição de liderança no mercado mundial de hidrogênio verde.

“Dificilmente acho que nós vamos ter uma oportunidade tão grande no Brasil para melhorar a sua competitividade, para poder contribuir, obviamente, para a descarbonização do mundo e reposicionar as nossas indústrias, que são fundamentais. Valorizando as inúmeras oportunidades que nós temos de utilizar aqui, o hidrogênio de baixo carbono ou também o hidrogênio verde. Então, nós temos aqui oportunidades que o resto do mundo não tem, e todas elas juntas. Isso significa que, se para o mundo a descarbonização é algo de um custo muito elevado, para o Brasil pode ser uma grande oportunidade de geração de riqueza, de agregar valor, de desenvolvimento regional”, completa.

Tanto na Câmara dos Deputados como no Senado, há projetos e comissões sobre hidrogênio verde. Na Câmara, o projeto de lei 2.328/2023 do deputado Gilson Marques (Novo-SC) dispõe sobre a definição legal de hidrogênio combustível e de hidrogênio verde. Atualmente, o projeto agurada parecer do relator na Comissão de Minas e Energia (CME).

Já no Senado, dois PLs estão em tramitação. Um deles, de autoria do então senador Jean Paul Prates (PL 725/22), que disciplina a inserção do hidrogênio como fonte de energia no Brasil e estabelece incentivos ao uso do hidrogênio sustentável. O texto atualmente está na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI).

O outro projeto em tramitação no Senado, o PL 1.878/2022 cria a política que regula a produção e usos para fins energéticos do hidrogênio verde. Hoje, a matéria está em discussão na Comissão Especial para Debate de Políticas Públicas sobre Hidrogênio Verde e segue posteriormente à CI.

Em paralelo, o Ministério de Minas e Energia (MME) formula seu próprio projeto através do Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2). Segundo a pasta, o programa deve ficar pronto antes de 2024.

Reportagem: Landara Lima

1678540344banner-970x90-bello.png

Mais recentes

Neto Carletto solicita carro Fumacê para enfrentamento da dengue em Eunápolis

Ciente dos inúmeros casos de dengue noticiados nas últimas semanas, o deputado federal Neto Carletto (PP) apresentou…

Deputada Cláudia Oliveira entrega tanque pipa ao distrito de União Baiana em Itagimirim

Visando promover o desenvolvimento da agricultura familiar da região, na última quarta-feira (14), a Associação dos Pequenos…

7 Horas de Arrocha: Thiago Aquino e Silvanno Salles juntos em Abril na Área Beach em Porto Seguro

A Área Beach de Porto Seguro será palco de um evento sensacional no dia 13 de abril,…

Eunápolis: Servidores da Câmara fazem curso sobre a nova lei das licitações

Servidores da Câmara fazem curso sobre a nova lei das licitações

Luto na música! Líder da banda Lordão, Kocó morre aos 72 anos

A música baiana perde uma de suas vozes mais emblemáticas. Clóvis Figueiredo Leite, mais conhecido pelo nome…

É preciso priorizar a indústria nacional como o foco do hidrogênio verde, afirma Abiquim

Por Marcelo oXarope
23/11/2023 - 06h08 - Atualizado há 3 meses

Publicado em - -

oxarope3noticia-veracel211123-2

Segundo o presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), André Passos, além de priorizar a indústria nacional, é preciso investir em pesquisa e desenvolvimento

O uso do hidrogênio verde na indústria nacional é um dos temas a ser priorizado na destinação de recursos de pesquisa e desenvolvimento de políticas públicas. Essa é a avaliação da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). Para o do presidente-executivo da entidade, André Passos, o desenvolvimento do hidrogênio verde no Brasil deve também promover tecnologias eficientes e produtivas.

“Qualquer apoio de política pública que priorize a produção do hidrogênio para o consumo da nossa indústria, para o processo de neoindustrialização. Então, priorizar a indústria nacional como o foco de consumo de demanda do hidrogênio e priorizar também pesquisa e desenvolvimento”, destaca.

A declaração foi feita durante o seminário “A produção de Hidrogênio Sustentável no Brasil”, realizado pela Frente Parlamentar da Química (FPQ), em parceria com o Conselho Federal da Química (CFQ), nesta quarta-feira (22). Na ocasião, foram debatidas as políticas públicas sobre hidrogênio verde que visam fomentar a tecnologia do combustível, além do potencial do Brasil para a produção e estruturação da cadeia do Hidrogênio Verde.

Durante as apresentações, o coordenador-Geral de Descarbonização do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Gustavo Fontenele, ressaltou o papel do hidrogênio verde na descarbonização da matriz energética mundial, e também as oportunidades no contexto brasileiro.

“A gente precisa realmente ter uma alavanca da neoindustrialização do hidrogênio de baixo carbono, do hidrogênio sustentável para uso no nosso país, que ele também contribua para aquilo que é o papel do Brasil no mundo enquanto potência ambiental. O papel do Brasil no mundo é descarbonização. Toda a região da América Latina, mas também o mundo. Mas é fundamental pensar a sua inserção enquanto fator de competitividade, de produtividade para o nosso país também”, afirma.

Já o presidente da Associação Brasileira do Hidrogênio (ABH2), Paulo Emílio Valadão, destacou que o Brasil tem um grande potencial para a produção de hidrogênio verde.

“Brasil também tem uma oportunidade muito grande de produção de hidrogênio a partir da eletrólise da água. Tem várias fontes renováveis, principalmente a nossa matriz já é muito limpa. E isso também é uma oportunidade. Já existe uma demanda industrial, mas nós queremos ampliar a demanda industrial com hidrogênio de baixa emissão de carbono e nós queremos criar demandas energéticas. O Brasil tem um imenso potencial para produção de hidrogênio de baixa emissão de carbono e devemos aproveitá-lo”, diz.

Para o deputado federal Vitor Lippi (PSDB-SP), o Brasil tem condições de assumir uma posição de liderança no mercado mundial de hidrogênio verde.

“Dificilmente acho que nós vamos ter uma oportunidade tão grande no Brasil para melhorar a sua competitividade, para poder contribuir, obviamente, para a descarbonização do mundo e reposicionar as nossas indústrias, que são fundamentais. Valorizando as inúmeras oportunidades que nós temos de utilizar aqui, o hidrogênio de baixo carbono ou também o hidrogênio verde. Então, nós temos aqui oportunidades que o resto do mundo não tem, e todas elas juntas. Isso significa que, se para o mundo a descarbonização é algo de um custo muito elevado, para o Brasil pode ser uma grande oportunidade de geração de riqueza, de agregar valor, de desenvolvimento regional”, completa.

Tanto na Câmara dos Deputados como no Senado, há projetos e comissões sobre hidrogênio verde. Na Câmara, o projeto de lei 2.328/2023 do deputado Gilson Marques (Novo-SC) dispõe sobre a definição legal de hidrogênio combustível e de hidrogênio verde. Atualmente, o projeto agurada parecer do relator na Comissão de Minas e Energia (CME).

Já no Senado, dois PLs estão em tramitação. Um deles, de autoria do então senador Jean Paul Prates (PL 725/22), que disciplina a inserção do hidrogênio como fonte de energia no Brasil e estabelece incentivos ao uso do hidrogênio sustentável. O texto atualmente está na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI).

O outro projeto em tramitação no Senado, o PL 1.878/2022 cria a política que regula a produção e usos para fins energéticos do hidrogênio verde. Hoje, a matéria está em discussão na Comissão Especial para Debate de Políticas Públicas sobre Hidrogênio Verde e segue posteriormente à CI.

Em paralelo, o Ministério de Minas e Energia (MME) formula seu próprio projeto através do Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2). Segundo a pasta, o programa deve ficar pronto antes de 2024.

Reportagem: Landara Lima

1

Mais recentes

Neto Carletto solicita carro Fumacê para enfrentamento da dengue em Eunápolis

Ciente dos inúmeros casos de dengue noticiados nas últimas semanas, o deputado federal Neto Carletto (PP) apresentou um Ofício à secretária de Saúde da Bahia,…

Deputada Cláudia Oliveira entrega tanque pipa ao distrito de União Baiana em Itagimirim

Visando promover o desenvolvimento da agricultura familiar da região, na última quarta-feira (14), a Associação dos Pequenos Produtores Rurais de União Baiana (APPRUB) recebeu um…

7 Horas de Arrocha: Thiago Aquino e Silvanno Salles juntos em Abril na Área Beach em Porto Seguro

A Área Beach de Porto Seguro será palco de um evento sensacional no dia 13 de abril, sábado, com a realização das “7 Horas de…

Eunápolis: Servidores da Câmara fazem curso sobre a nova lei das licitações

Servidores da Câmara fazem curso sobre a nova lei das licitações

Luto na música! Líder da banda Lordão, Kocó morre aos 72 anos

A música baiana perde uma de suas vozes mais emblemáticas. Clóvis Figueiredo Leite, mais conhecido pelo nome artístico de Kokó, e celebrado líder da banda…

Sesab e SEC lançam projeto para vacinar estudantes nas escolas da rede estadual

Durante a abertura do ano letivo 2024, a Secretaria estadual da Educação (SEC) lançou o projeto Vacinação nas Escolas. O objetivo é erradicar, eliminar e…

Investimento em novas escolas deve ultrapassar um bilhão de reais, anuncia governador em abertura do ano letivo em Feira de Santana

Na ocasião, Jerônimo ainda inaugurou o Colégio Estadual de Tempo Integral Georgina de Melo Erismann, na segunda maior cidade baiana O ano letivo 2024 da…

Setur promove turismo baiano em cinco capitais da América do Sul

Atrair um número maior de visitantes estrangeiros para a Bahia está entre as ações prioritárias da Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA). O trabalho tem…

Sete a cada 10 pessoas vivem com alguma privação de serviço de saneamento no Nordeste

Mais de 100 milhões de pessoas no Brasil vivem privadas de serviços de saneamento, de acordo com estudo do Instituto Trata Brasil. O levantamento, realizado…

Na escola, começamos mais um capítulo da Nova Bahia

A missão principal do Governo do Estado é cuidar das pessoas, e a escola surge como um dos espaços mais promissores para alcançarmos esse objetivo…

Novas ruas serão asfaltadas no Baianão, pelo maior programa de pavimentação de Porto Seguro!

Na noite desta sexta-feira, 16/02, no Mercado do Povo, foi assinada a Ordem de Serviço para asfaltamento de ruas no Baianão. A partir de segunda-feira,…

Veracel abre oportunidades para Especialista na área de Coordenação de Controle Técnico e para Assistente Técnico de Confiabilidade

A Veracel Celulose está com duas novas oportunidades para trabalhar na companhia. As vagas são para as posições de Especialista em Processos Industriais, na área…

Deputada Cláudia Oliveira prestigia tradicionais blocos carnavalescos de Porto Seguro

Os blocos de carnaval desempenham um papel crucial na celebração cultural e, neste ano, foram destaque pelas ruas de Porto Seguro, atraindo milhares de foliões….

Taxa de desocupação cai pela segunda vez na Bahia e fecha 2023 em 13,2%, a mais baixa para o estado em 8 anos, mas a 2a maior do país

** A taxa de desocupação na Bahia cedeu em 2023 em razão da manutenção de dois movimentos. O número de pessoas trabalhando (ocupadas) cresceu (+0,9%) pelo 3o ano,…

Presidente da FIEB se reúne com empresários de Eunápolis na próxima quarta-feira, dia 21

Com o objetivo de apresentar os serviços disponibilizados de Sistema FIEB para estimular a competitividade da indústria na região do extremo-sul do estado, o presidente…

Rolar para cima