1678540344banner-970x90-bello.png

Fraudes no carnaval: Como o e-commerce pode se prevenir dos golpes mais comuns?

Por Marcelo oXarope
07/02/2024

Publicado em

oXarope2060224

Mesmo tendo como tônica a folia, o Carnaval também é um período de grande movimentação no e-commerce. Isso porque os foliões querem garantir espaço nas melhores festas e também comprar os acessórios para curtir o feriado com estilo. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) indicam uma projeção de  R$ 5,5 bilhões em vendas online no período em 2024, crescimento de 17% em relação ao ano passado.

Contudo, em épocas de grande movimentação de compras também é necessário cautela, principalmente para os players do comércio virtual. Isso porque os malfeitores se aproveitam dessa demanda para distrair os consumidores e burlar as plataformas para conseguir dinheiro fácil. Para se ter uma ideia, dados da Clearsale apontam que, no Carnaval do ano passado, foram 83.187 tentativas de fraude, o que representa uma perda de R$ 100 milhões de reais.

Para Nathan Marion, gerente geral da Yuno, orquestradora global de pagamentos, é de responsabilidade das empresas de comércio eletrônico garantir um ambiente seguro para seus consumidores. “É importante constantemente rever o processo de prevenção e atuar para melhorar e não se tornar previsível. Com isso, a empresa preserva seus clientes, garantindo maior credibilidade junto a seu público final, e evita prejuízos tanto financeiros quanto para a imagem de sua marca.” explica o executivo. 

Como forma de evitar golpes, Marion destaca que os varejistas precisam estar constantemente revisando sua abordagem e sempre atentos a novidades de mercado, investindo em automação. “Hoje, existem soluções de machine learning que conseguem avaliar o comportamento dos clientes durante uma compra e, com isso, estabelecer um padrão, levando em conta fatores como local, recorrência, produtos mais procurados, etc. Assim, caso um golpista invada a conta de um  usuário e comece a fazer transações que fujam do habitual, o próprio sistema já vai achar estranho e bloquear essa compra”, explica.

Além disso, o profissional destaca que as ferramentas de autenticação estão cada vez mais assertivas, de modo que também podem auxiliar o lojista. “Como exemplo, temos o 3DS, que é um protocolo de autenticação para transações com cartão constantemente atualizado pelas bandeiras, que exige uma etapa adicional de verificação do usuário via SMS ou validações via aplicativos dos bancos, inibindo a ações do fraudador e também levando o passivo de uma possível fraude para o banco, que após validar a transação assume o passivo (chargeback) por fraudes”.

Por último, Marion reforça a biometria como um fator importante e inovador para o setor. “Alguns estabelecimentos já se utilizam da tecnologia, que reconhece o consumidor por meio de seu rosto. Isso reduz as fraudes, pois a face de cada pessoa é única. Mesmo que o golpista exiba uma foto de sua vítima, os sistemas são muito avançados e reconhecem pontos da face que uma fotografia não capta. Além disso, na maioria dos casos a solução pede por movimentos específicos como piscar, sorrir, mexer os lábios, etc”.

Com a combinação dessas ferramentas, Nathan Marion acredita que os players de e-commerce podem enxergar um horizonte mais favorável no Carnaval. Isso porque a utilização de soluções complementares traz segurança à transação sem tirar uma boa experiência do usuário. “A combinação dessas soluções só dificulta o trabalho do golpista, pois ele terá que lidar com diversos padrões e tecnologias diferentes, o que fará com que desista de efetuar o crime. Com isso, os varejistas conseguem achar o equilíbrio entre otimizar ao máximo a experiência de seus clientes e, ao mesmo tempo, evitar que um fraudador consiga lograr êxito em sua jornada.”

Pedro Zago

1678540344banner-970x90-bello.png

Mais recentes

Expectativa por ata do Fed e retorno do mercado chinês deixam dólar volátil

Dólar abre em leve queda nesta segunda-feira, com mercado a espera da Ata da última reunião do…

Marvel ou DC? Nenhum! Herói brasileiro desafia narrativas mainstream

Esqueça Homem-Aranha e Batman. Em “O Cidadão Incomum”, os brasileiros agora têm um super-herói que vive dilemas…

Faturamento de exportações da piscicultura brasileira cresce 4% em 2023

As exportações da piscicultura brasileira atingiram U$S 24,7 milhões, em 2023, com aumento de 4% em comparação…

Fraudes no carnaval: Como o e-commerce pode se prevenir dos golpes mais comuns?

Mesmo tendo como tônica a folia, o Carnaval também é um período de grande movimentação no e-commerce….

Traduções incorretas fazem com que 40% dos brasileiros desistam de comprar de empresas estrangeiras online

  Com cerca de 300 milhões de compradores on-line, a América Latina está rapidamente se tornando uma…

Fraudes no carnaval: Como o e-commerce pode se prevenir dos golpes mais comuns?

Por Marcelo oXarope
07/02/2024 - 16h50 - Atualizado há 2 semanas

Publicado em

oXarope2060224

Mesmo tendo como tônica a folia, o Carnaval também é um período de grande movimentação no e-commerce. Isso porque os foliões querem garantir espaço nas melhores festas e também comprar os acessórios para curtir o feriado com estilo. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) indicam uma projeção de  R$ 5,5 bilhões em vendas online no período em 2024, crescimento de 17% em relação ao ano passado.

Contudo, em épocas de grande movimentação de compras também é necessário cautela, principalmente para os players do comércio virtual. Isso porque os malfeitores se aproveitam dessa demanda para distrair os consumidores e burlar as plataformas para conseguir dinheiro fácil. Para se ter uma ideia, dados da Clearsale apontam que, no Carnaval do ano passado, foram 83.187 tentativas de fraude, o que representa uma perda de R$ 100 milhões de reais.

Para Nathan Marion, gerente geral da Yuno, orquestradora global de pagamentos, é de responsabilidade das empresas de comércio eletrônico garantir um ambiente seguro para seus consumidores. “É importante constantemente rever o processo de prevenção e atuar para melhorar e não se tornar previsível. Com isso, a empresa preserva seus clientes, garantindo maior credibilidade junto a seu público final, e evita prejuízos tanto financeiros quanto para a imagem de sua marca.” explica o executivo. 

Como forma de evitar golpes, Marion destaca que os varejistas precisam estar constantemente revisando sua abordagem e sempre atentos a novidades de mercado, investindo em automação. “Hoje, existem soluções de machine learning que conseguem avaliar o comportamento dos clientes durante uma compra e, com isso, estabelecer um padrão, levando em conta fatores como local, recorrência, produtos mais procurados, etc. Assim, caso um golpista invada a conta de um  usuário e comece a fazer transações que fujam do habitual, o próprio sistema já vai achar estranho e bloquear essa compra”, explica.

Além disso, o profissional destaca que as ferramentas de autenticação estão cada vez mais assertivas, de modo que também podem auxiliar o lojista. “Como exemplo, temos o 3DS, que é um protocolo de autenticação para transações com cartão constantemente atualizado pelas bandeiras, que exige uma etapa adicional de verificação do usuário via SMS ou validações via aplicativos dos bancos, inibindo a ações do fraudador e também levando o passivo de uma possível fraude para o banco, que após validar a transação assume o passivo (chargeback) por fraudes”.

Por último, Marion reforça a biometria como um fator importante e inovador para o setor. “Alguns estabelecimentos já se utilizam da tecnologia, que reconhece o consumidor por meio de seu rosto. Isso reduz as fraudes, pois a face de cada pessoa é única. Mesmo que o golpista exiba uma foto de sua vítima, os sistemas são muito avançados e reconhecem pontos da face que uma fotografia não capta. Além disso, na maioria dos casos a solução pede por movimentos específicos como piscar, sorrir, mexer os lábios, etc”.

Com a combinação dessas ferramentas, Nathan Marion acredita que os players de e-commerce podem enxergar um horizonte mais favorável no Carnaval. Isso porque a utilização de soluções complementares traz segurança à transação sem tirar uma boa experiência do usuário. “A combinação dessas soluções só dificulta o trabalho do golpista, pois ele terá que lidar com diversos padrões e tecnologias diferentes, o que fará com que desista de efetuar o crime. Com isso, os varejistas conseguem achar o equilíbrio entre otimizar ao máximo a experiência de seus clientes e, ao mesmo tempo, evitar que um fraudador consiga lograr êxito em sua jornada.”

Pedro Zago

1

Mais recentes

Expectativa por ata do Fed e retorno do mercado chinês deixam dólar volátil

Dólar abre em leve queda nesta segunda-feira, com mercado a espera da Ata da última reunião do Fed, em dia de liquidez reduzida nos Estados…

Marvel ou DC? Nenhum! Herói brasileiro desafia narrativas mainstream

Esqueça Homem-Aranha e Batman. Em “O Cidadão Incomum”, os brasileiros agora têm um super-herói que vive dilemas e alegrias da vida real. No enredo, Caliel…

Faturamento de exportações da piscicultura brasileira cresce 4% em 2023

As exportações da piscicultura brasileira atingiram U$S 24,7 milhões, em 2023, com aumento de 4% em comparação a 2022. Em toneladas, foi registrada queda de…

Fraudes no carnaval: Como o e-commerce pode se prevenir dos golpes mais comuns?

Mesmo tendo como tônica a folia, o Carnaval também é um período de grande movimentação no e-commerce. Isso porque os foliões querem garantir espaço nas…

Traduções incorretas fazem com que 40% dos brasileiros desistam de comprar de empresas estrangeiras online

  Com cerca de 300 milhões de compradores on-line, a América Latina está rapidamente se tornando uma das regiões mais promissoras do mundo para empresas…

Inscrições para Prouni terminam nesta quinta-feira (1º); saiba como participar

Resultado da primeira chamada será divulgado no dia 6 de fevereiro As inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni) podem ser feitas até esta…

Frustração e ansiedade diante do diagnóstico de infertilidade são motivo de depressão, principalmente em mulheres

Os meses passam e a gravidez não chega… Dar o passo de procurar profissionais de fertilidade não é fácil para muitas pessoas, pois elas temem…

Cenário Político Desolador: a cidade afunda nas águas da corrupção

O colapso político da cidade, mergulhada em um cenário desolador, corroída pela corrupção. Se torna um desafio enfrentado pela comunidade e a urgente necessidade de…

 Para especialista, aumento de 3,71% do benefício do INSS não faz frente à realidade econômica

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que ganham acima de um salário mínimo terão os benefícios reajustados em 3,71%, em 2024….

Guerra prolongada em Israel trará custos financeiros e políticos enormes e nenhum lado vai ganhar com isso

Escalada do conflito só vai causar instabilidade mundial, dizem os especialistas Emanuel Pessoa e Gisele Souza (ESAMC Santos) Em longo prazo, a continuidade dos combates…

Desafios legais na responsabilização de páginas que divulgam fake news nas redes sociais

De acordo com o advogado Fábio F. Chaim, a disseminação de notícias falsas pode resultar em responsabilização civil e criminal A disseminação de informações falsas…

Vida e Morte Descobertas

poesia, Marco Jardim

Ano novo: Viva e deixe Viver!

Ao iniciarmos o Ano-Novo, cuja palavra veio do francês e significa “despertar” ou “acordar”, em referência à nova etapa de vida que se inicia, é…

Veja top 5 das cidades que mais ganharam participação no PIB do Brasil

Quatro dos cinco municípios estão no estado do Rio de Janeiro. Cidade “intrusa” fica em São Paulo. Em comum, eles tiveram arrecadação elevada com royalties…

Réveillon e Ano Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes. Ano-Novo e Réveillon são as comemorações…

Rolar para cima