Supremo valida julgamento de civil pela Justiça Militar

Por Marcelo oXarope
10/11/2023

Publicado em -

oxarope101123noticia-2

Moraes deu voto de desempate; caso começou a ser analisado em 2018

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta sexta-feira (10) que a Justiça Militar pode julgar civis em tempos de paz. O caso começou a ser analisado em 2018 e foi concluído com voto de desempate do ministro Alexandre de Moraes.

Por 6 votos a 5, o entendimento foi obtido no julgamento virtual de um empresário que foi processado pela justiça castrense por ter oferecido propina a um oficial do Exército para obter autorização para comercializar vidros blindados.

Antes de chegar ao Supremo, o Superior Tribunal Militar (STM) negou a transferência do processo para a Justiça comum e confirmou a competência para julgar casos específicos de crimes cometidos por civis contra as Forças Armadas.

Ao desempatar o julgamento, Alexandre de Moraes argumentou que a Justiça Militar é responsável pelo julgamento de crimes conforme determinação da lei.

“Da mesma maneira que crimes de militares devem ser julgados pela Justiça comum quando não definidos em lei como crimes militares, crimes militares, mesmo praticados por civis, devem ser julgados pela Justiça Militar quando assim definidos pela lei e por afetarem a dignidade da instituição das Forças Armadas’, afirmou.

GLO

Outra discussão que está pendente no Supremo diz respeito à competência da Justiça Militar para julgar militares por crimes cometidos durante operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Não há previsão para retomada do julgamento.

O julgamento é motivado por uma ação protocolada em 2013 pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para contestar um trecho da Lei Complementar 97/1999. A lei ampliou a competência da Justiça Militar para julgamento de crimes que não estão diretamente ligados às funções típicas das Forças Armadas, como operações de GLO, combate ao crime e para garantir a segurança das eleições.

Por André Richter

1678540344banner-970x90-bello.png

Mais recentes

Divulgada nova data do Concurso Nacional Unificado: 18 de agosto

O Concurso Público Nacional Unificado (CNPU) já conta com nova data: 18 de agosto. Em breve o…

Estudo da FGV aponta caminhos para gestão de desastres climáticos em Itabuna

Os impactos dos desastres naturais, impulsionados pelas mudanças climáticas, têm se tornado cada vez mais evidentes em…

Como evitar o superendividamento? Especialista dá dicas para não ficar no vermelho

Prestes a completar 3 anos em julho, a Lei do Superendividamento (14.871, de 2021) trouxe regras e…

Agricultura familiar: Projeto Maravilha 2, um case de sucesso

“A gente vai plantando e colhendo, porque é daqui que a gente tira o nosso sustento e…

Na Alemanha, representantes do Nordeste buscam investimentos sustentáveis

 A atração de indústrias sustentáveis para o Nordeste foi o objetivo do seminário “Nordeste Brasileiro: Oportunidades de…

Supremo valida julgamento de civil pela Justiça Militar

Por Marcelo oXarope
10/11/2023 - 19h15 - Atualizado 10 de novembro de 2023

Publicado em -

oxarope101123noticia-2

Moraes deu voto de desempate; caso começou a ser analisado em 2018

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta sexta-feira (10) que a Justiça Militar pode julgar civis em tempos de paz. O caso começou a ser analisado em 2018 e foi concluído com voto de desempate do ministro Alexandre de Moraes.

Por 6 votos a 5, o entendimento foi obtido no julgamento virtual de um empresário que foi processado pela justiça castrense por ter oferecido propina a um oficial do Exército para obter autorização para comercializar vidros blindados.

Antes de chegar ao Supremo, o Superior Tribunal Militar (STM) negou a transferência do processo para a Justiça comum e confirmou a competência para julgar casos específicos de crimes cometidos por civis contra as Forças Armadas.

Ao desempatar o julgamento, Alexandre de Moraes argumentou que a Justiça Militar é responsável pelo julgamento de crimes conforme determinação da lei.

“Da mesma maneira que crimes de militares devem ser julgados pela Justiça comum quando não definidos em lei como crimes militares, crimes militares, mesmo praticados por civis, devem ser julgados pela Justiça Militar quando assim definidos pela lei e por afetarem a dignidade da instituição das Forças Armadas’, afirmou.

GLO

Outra discussão que está pendente no Supremo diz respeito à competência da Justiça Militar para julgar militares por crimes cometidos durante operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Não há previsão para retomada do julgamento.

O julgamento é motivado por uma ação protocolada em 2013 pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para contestar um trecho da Lei Complementar 97/1999. A lei ampliou a competência da Justiça Militar para julgamento de crimes que não estão diretamente ligados às funções típicas das Forças Armadas, como operações de GLO, combate ao crime e para garantir a segurança das eleições.

Por André Richter

1

Mais recentes

Divulgada nova data do Concurso Nacional Unificado: 18 de agosto

O Concurso Público Nacional Unificado (CNPU) já conta com nova data: 18 de agosto. Em breve o cronograma completo será divulgado.  Após o adiamento causado…

Estudo da FGV aponta caminhos para gestão de desastres climáticos em Itabuna

Os impactos dos desastres naturais, impulsionados pelas mudanças climáticas, têm se tornado cada vez mais evidentes em escala global. No Brasil, o recente evento de…

Como evitar o superendividamento? Especialista dá dicas para não ficar no vermelho

Prestes a completar 3 anos em julho, a Lei do Superendividamento (14.871, de 2021) trouxe regras e normas na concessão de crédito para o consumidor…

Agricultura familiar: Projeto Maravilha 2, um case de sucesso

“A gente vai plantando e colhendo, porque é daqui que a gente tira o nosso sustento e o daqueles que nos ajudam no trabalho do…

Na Alemanha, representantes do Nordeste buscam investimentos sustentáveis

 A atração de indústrias sustentáveis para o Nordeste foi o objetivo do seminário “Nordeste Brasileiro: Oportunidades de Investimento na Indústria Verde e na Transição Energética…

Veracel divulga seu Relatório de Sustentabilidade de 2023

Entre os principais destaques do ano, estão o marco de 20 milhões de toneladas de celulose produzidas, o investimento de R$ 9,7 milhões em programas…

Veracel recebe imprensa em Eunápolis para celebrar o Dia da Indústria

A Veracel, empresa do setor de celulose, promoveu um encontro de relacionamento com a imprensa na sua fábrica localizada em Eunápolis, em comemoração ao Dia…

Veracel abre vaga para Coordenadora ou Coordenador de Recuperação e Utilidades

A Veracel Celulose acaba de abrir uma oportunidade para a vaga de Coordenadora ou Coordenador de Recuperação e Utilidades. As inscrições ficam abertas até o…

Parque Nacional do Alto Cariri Comemora 14 Anos com Pedal até a Cachoeira de São José

Link para inscrição no pedaldocs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeC3TIxPvtyCpoKq7_x6-A0nOVzpCNsk09JCMxBh2epP6o O Parque Nacional do Alto Cariri comemora seus 14 anos de existência com uma programação especial voltada para os amantes…

Quando é Hora de “Jogar a Toalha”, reconhecendo sinais de mudança

Na arena política, há momentos em que os desafios parecem insuperáveis e as promessas não cumpridas se acumulam, levando os mandatários a considerar a difícil…

SENAI Bahia tem mais de 1.000 bolsas gratuitas em cursos técnicos

O SENAI Bahia está com inscrições abertas para cursos técnicos em 12 cidades. No total, o processo seletivo 2024.2 oferece 7.350 vagas, sendo 1.070 bolsas gratuitas….

Deputada Cláudia Oliveira marca presença nas entregas de saúde para o Extremo Sul da Bahia

Nesta sexta-feira (10), o município de Teixeira de Freitas foi palco para uma série de entregas do Governo do Estado na área da saúde e…

Aniversário Amargo: Eunápolis completa mais um ano sem motivos para comemorar

Eunápolis enfrenta inúmeros desafios em seu 36º ano de existência. A principal dificuldade reside na falta de investimentos em áreas cruciais como saúde e educação….

Obra premiada da artesã Mônica Vieira representou a Bahia na 1ª Mostra do Artesanato Brasileiro

Com a premiada obra Ogum, a artesã baiana Mônica Vieira representou com sucesso o Artesanato da Bahia na 1ª Mostra do Artesanato Brasileiro- Além das Fronteiras, realizada no Palácio do Itamaraty, sede do Ministério…

Pesquisa mostra qual o melhor horário para fazer exercícios físicos

Todos nós sabemos que fazer exercícios físicos é importante para a saúde da mente e do corpo. Mas, de acordo com os seus objetivos pessoais,…

Rolar para cima